27 de fev de 2015

Trabalhar em conjunto é muito bom...

E os resultados sempre me agradam!
Vejam o vestido Que Coso? original:
Top de crochê em linha de algodão mesclada+
um  tecido que recebeu uma  estampa artesanal
para casar com as cores do top.
Eu estava achando bonito, mas ainda não entendia, olhava para ele e
sabia que estava faltando algo, mas não sabia bem o que poderia ser...
Daí entra o suplemento  da minha mais nova amiga Carmem K'hardana! 
Ela é a responsável pela  Fios da Terra  
e com seus mágicos "fios" contas, búzios e sua arte inspirada pela deusa Uttu 
fechou a minha questão! 
Agora este vestido, na minha opinião, subiu de bonito para lindo!


Em breve mais desta parceria que promete!
 ...e que inclue os amigos
Marcos Ashur (fotografia)
&
Laila Klair ( modelo e atriz)
Estou amando!



25 de fev de 2015

crochê + viscose

Este vestido transpassa muito frescor e realmente é perfeito para dias de calor.
 O crochê do top é em linha 100% algodão numa cor linda, verde hortelã, a saia de viscose estampa Liberty, tem corte godê que mal encosta no corpo. Puro frescor!
As franjas abaixo da cntura são opcionais e podem ser retiradas sem prejudicar o crochê.

6 de fev de 2015

"Consciente, coerente, vivo e cru."





Este conjunto é especial para uma pessoa que trabalha com produtos veganos e com o crudivorismo,  e pensei que então ele teria que contar isto logo de cara...
E as escolhas foram tecidos naturais como base, linho para o padrão e uma cambraia de algodão para o forro. Cores amenas e confortáveis verde seco e bege amarelado. Linda harmonia!
Bordados, pinturas e detalhes todos feito à mão.
Frase no gorro definida pela cliente, como sempre faço para um toque bem personalizado.
"Consciente, coerente, vivo e cru"

28 de jan de 2015

Mais crochê!


Vestido feito com top de crochê rebordado
depois de pronto. Neste modelo foram aproveitados
restos de fios de várias cores sem muita preocupação
de simetria. O resultado foi como num patchwork.
A saia longa é de malha e é presa no crochê com 
pontos miúdos.
Colorido, lindo e confortável!




23 de jan de 2015

Saia dupla face

Uma roupa que vale por duas é genial!
Além de economico! 
Lado A é em musseline de seda bem levinha e colorida
do outro lado uma cambraia laranja 100% algodão
 que não dá volume exagerado na saia.


o top de crochê tem as cores harmonizadas com a estampa de seda
e juntos fazem uma  dupla 
que não vai passar desapercebida neste verão



17 de jan de 2015

Top sem stop!!!

Mais um verdinho saindo do forno...
Meu jeito favorito de usar é com uma boa saia longa
um estilo meio cigana... adoro!
só trocar o cinto e o visual é outro!!!



Ontem minha irmã encontrou uma foto dela, de 1997, usando um top que segundo ela eu quem fiz e
dei a ela de presente! 
Não lembrava de nada disto!
 E nem vendo a foto do top eu consigo me lembrar!!! (risos)
 Mas se ela está dizendo!!!

(brinquei com esta foto dizendo que 
é do tempo que GuarapariS
 ainda era Guarapari!!!)


Fiquei pensando como a moda é pura reprise...


Mais fotos de crochê "Que Coso?" ?
Claro que tenho sim!
Biquininhos para as meninas que estão com o corpo em dia




a parte de trás dos biquines de crochê é o que todo mundo
fica em dúvida se vai gostar ou não...
eu digo que cada pessoa é de um jeito e só experimentando para saber!
O bom é que no feito à mão você faz do seu jeitinho mesmo!

 Abaixo um jeito maroto de variar o uso dos tops da moda,
 -como um colete-
legal tb para quem não quer expor tantas partes do corpo
 por um motivo qualquer.

 Eu gosto muito destas faixas que chamo de obi e sempre que o vestido comporta eu confecciono uma combinando para enriquecer o conjunto. Esta acima em azul com xadrez vai junto com o vestido,
  e tenho produzido umas avulsas bem coloridas, esta outra abaixo é com um tecido
de lantejoulas em estampa étnica que encontrei por acaso numa loja e trouxe para casa sem saber ao certo onde poderia utiliza-lo!
O  brilho não é exagerado e
permite usa-la durante o dia sem medo de ser feliz!
 Amei esta combinação de tons!
Muito harmoniosa!
Estou também nas redes sociais sabia? Você está?
Na página "Que Coso?" no Facebook as novidades são praticamente
diárias! Se você é adept@, entre e me dê um joinha lá!? Vou amar!
Aqui o link: QueCoso?



Hoje o céu está muito azul e o sol de verão está bem forte e brilhante
 aqui nesse meu cantinho de ver o mundo...
e eu só na produção de "Que Coso?"
Penso, tem horas, que deveria estar mais junto à natureza...
porém, sinto uma imensa
Gratidão à vida, ao Universo, 
por me possibilitarem trabalhar com uma atividade que gosto tanto!
Nem vejo o tempo passar e sigo levemente!
Namastê.







10 de jan de 2015

É lindo demais, minha gente!!!


Quando quem faz compra de quem faz

Há algum tempo tenho vivido as delícias de ser “quem faz”. Apesar de não ser minha única fonte de renda, é algo que faço com muito prazer e cada vez mais ganha força com os retornos que recebo de clientes tão felizes e satisfeitas com suas peças. É realmente gratificante estar nesse papel.
No entanto, tenho percebido também o quanto é bom ser “quem compra” (de quem faz, claro!!!). Já não é mais qualquer peça que me agrada. Hoje em dia, ela precisa ser mais do que bonita, ela precisa ter carinho, energia e cuidado. Eu quero aquele atendimento que vai fazer da minha peça A MINHA PEÇA. Não porque eu preciso de exclusividade, de jeito nenhum, mas porque eu quero que aquele produto tenha a minha cara e eu mereço isso, nós merecemos isso.
Exemplificando com a prática… Dia desses, percebi que precisava de uma sapatilha nova e então, iniciei uma busca, não por lojas de sapatos, mas por produções artesanais na internet. E aí me lembrei de uma marca que fazia sapatilhas de crochê, escrevi e iniciamos uma conversa. Durante toda a negociação eu fui prestando atenção em detalhes que a princípio parecem pequenos, mas quando você olha direito são eles que fazem a diferença. A escolha da cor, das linhas, o contato direto com quem produzirá algo que você vai usar no dia a dia. Ela ia fazer o meu sapato!!! Como eu disse, parece pequeno, mas na verdade, é humano. É como se voltássemos no tempo, livres do pejorativo que a expressão possa ter para alguns, mas no sentido de resgate de uma tradição.
E o que mais tem sido esse movimento da produção artesanal contemporânea, se não um resgate de práticas manuais que ficaram por algum tempo esquecidas e renegadas? Eu me sinto privilegiada fazendo parte desse movimento não só de quem produz, mas também de quem escolhe o que irá apoiar através do seu consumo. Sim, porque consumir se tornou um ato político, eu faço as minhas escolhas e as minhas escolhas me representam (momento confissão: estou muito bem representada pela minha sapatilha de crochê quando caminho com ela mundo afora).
Talvez esse texto fique parecendo utópico, já que sim, existem dificuldades nessas negociações e nos processos produtivos diferenciados da produção em larga escala. Mas comprar de quem faz implica em você desenvolver um outro tipo de consumidor, afinal, você quer carinho, energia e cuidado ao comprar, mas quem faz também quer e merece isso em troca. Taí a delícia dessa nova forma de vender e consumir. As pessoas trocam, além de dinheiro e produto, o respeito ao próximo. Não é lindo viver esse momento? Não é lindo comprar de quem faz? É lindo demais, minha gente!!!